Ao fim da safra de verão, chega o momento de semear um cultivo de inverno. As plantas de cobertura são espécies cultivadas no período entressafras, utilizadas para diversas finalidades, mas principalmente, com vista à proteção de áreas agrícolas em pousio.

A inclusão dessas plantas nos sistemas de cultivo contribui para a melhoria das condições de solo, de suas características físicas, químicas e biológicas. Serve também como mais uma opção de renda para o agricultor, quando utilizado para formação de pastagens e alimentação dos animais.

No sistema de plantio direto, os cultivos de cobertura são práticas comuns, principalmente para a produção de palha sobre a superfície do solo.

Definindo um boa planta de cobertura

A definição da planta de cobertura a ser utilizada geralmente ocorre na direção a espécies de rápido crescimento que possuam alta produção de biomassa e elevada relação carbono/nitrogênio (C/N). Além disso, as plantas devem ser rústicas, de fácil implantação e manejo e de baixo custo.

As plantas de cobertura também devem atuar na ciclagem de nutrientes, na supressão de plantas daninhas e doenças possibilitando benefícios sobre as culturas em sucessão.

Nas regiões subtropicais, devido às condições climáticas, com inverno mais frio e melhor distribuição de chuva, é possível manter, com maior facilidade, uma cobertura adequada do solo com palha durante todo o ano.

Algumas plantas de cobertura utilizadas em regiões subtropicais são: a aveia-preta (Avena strigosa), o nabo forrageiro (Raphanus sativus), o azevém (Lolium multiflorium) e a canola (Brassica napus L. var oleífera). Para o controle de nematoides, são utilizadas a crotalária (Crotalaria spectabilis) e o milheto (Pennisetum glaucum).

Aveia-preta como cobertura em regiões subtropicais

Aveia Preta Phytus

No Sul do Brasil, uma das principais plantas de cobertura é a aveia-preta. Estima-se que a aveia-preta possua uma área cultivada superior a cinco milhões de hectares, uma vez que, além de ser utilizada para a produção de palha no sistema de plantio direto, é uma das mais importantes gramíneas anuais de inverno para formação de pastagens.

Costumeiramente, os produtores utilizam-se de sementes de “aveia-preta comum”, o que tem levado diversos problemas ao campo. Oriunda de populações heterogêneas, sem identidade genética, com elevada desuniformidade quanto ao ciclo, altura, produção de massa seca e resistência a moléstias, as “aveias-preta comuns” podem estar ligadas ao aparecimento de doenças, em especial a ferrugem do colmo e das folhas, o vírus do nanismo amarelo da cevada. Por este motivo indica-se o uso de sementes próprias de cultivares fiscalizadas de variedades melhoradas. Cabe destacar que encontramos no mercado quatorze cultivares registradas, aptas à comercialização.

Crotalária como planta de cobertura para controle de nematoides

crota

A Crotalaria (C. spectabilis) é uma importante antagonista de nematoides devido ao seu comportamento não-hospedeiro, evitando a proliferação de algumas espécies, devido ao fato de não serem hospedeiras e não permitirem a multiplicação dos nematoides em esquemas de rotação de culturas. Além disso, a crotalária apresenta efeito fitotóxico para nematoides formadores de galhas e cistos, não permitindo que as populações completem seu ciclo de desenvolvimento. Por esse motivo, possuem grande aplicabilidade na rotação de culturas no cerrado brasileiro.