A época entre abril e maio é o momento adequado para o manejo de plantas daninhas de inverno. Neste período, principalmente no Sul do Brasil, ocorre um intervalo entre a colheita da cultura de verão e estabelecimento de culturas de inverno, podendo ser utilizado para o controle ou redução da incidência de plantas daninhas.

As plantas que ocorrem nesta época são oriundas de fluxos germinativos que ocorreram dentro das culturas de verão. Ou essas plantas daninhas não foram controladas pelos herbicidas utilizados, ou germinaram após o estabelecimento da cultura.

Uma prática de manejo indicada é a dessecação, que se feita de maneira adequada, impede a ocorrência de novos fluxos germinativos das espécies daninhas. Através dessa prática de manejo busca-se eliminar as plantas que sobraram durante o desenvolvimento das culturas, impedindo a produção de sementes por essas plantas, reduzindo o banco de sementes e impedindo novos fluxos germinativos das plantas daninhas dentro das culturas plantadas na sequência.

Plantas daninhas alvo

A buva (Conyza spp.), por exemplo, começa a germinar entre o final do mês de março e abril.

Planta Daninha em Culturas de Inverno: Buva (Conyza sp.)    

Já o azevém (Lolium multiflorium) possui seu primeiro fluxo de germinação próximo ao mês de abril, antes do estabelecimento dos cultivos de inverno, que se dará próximo ao mês de junho.

Conteúdo aberto para azevem_free.png    

Rotação de herbicidas

Este intervalo entre duas culturas permite ao produtor a utilização de herbicidas diferentes daqueles que são seletivos, utilizados dentro das culturas. Desta forma, a dessecação em período outonal oportuniza a utilização de herbicidas não-seletivos, ampliando o leque de herbicidas utilizados e permitindo a rotação de mecanismos de ação. Esse manejo permite o uso eficaz da ferramenta herbicida, evita a seleção de biótipos resistentes e melhora o grau de controle de plantas daninhas.