Identificação de cereais de inverno em fases iniciais de desenvolvimento

**
Data de publicação:

O material traz de forma didática os passos para diferenciar o trigo, a cevada, o centeio, o triticale, a aveia-branca e o azevém em estádios iniciais de desenvolvimento.

 

A correta identificação dos cereais de inverno

A correta identificação dos cereais de inverno nos estádios iniciais de desenvolvimento é importante em função de diversos fatores como:

  • Controle de plantas daninhas com o uso correto de herbicidas seletivos
  • Elaboração de previsões de produção de cereais pelos avaliadores de terra e agrimensores;
  • Identificação de doenças iniciais e definição do tratamento químico mais adequado.

 A identificação das diferentes espécies de cereais de inverno é feita através da observação de estruturas morfológicas da planta. Estas estruturas são:

  • Bainha - é o órgão alongado em forma de cartucho, que nasce no nó e cobre o entrenó, podendo ser maior ou menor que este.
  • Lígula - é uma aba saliente ou borda localizada na parte superior interna da bainha no limite com a lâmina foliar. A lígula impede que a água penetre no interior da bainha onde pode ficar retida e favorecer o desenvolvimento de injúrias.
  • Aurícula – localizadas na extremidade inferior da lâmina foliar, mais especificadamente nos contornos da lígula. São apêndices que abraçam o caule.
  • Lâmina Foliar – em cereais pode ser torcida ou enrolada. Quando visto de cima essas torções podem ser no sentido horário ou anti-horário.

 

Chave para identificação 

TRIGO – Triticum aestivum

  • Bainha e lâmina foliar pilosa.
  • Bainha aberta. Lígula média, membranosa.
  • Aurículas médias (auriculo-amplexicaule), pilosas com pelos compridos, pontas tênues e se cruzam em planos diferentes no caule.
  • Lâminas foliares torcem no sentido horário.

 

 

CEVADA – Hordeum vulgare

  • Bainha e lâmina foliar sem pelos.
  • Bainha aberta.
  • Lígula média e membranosa.
  • Aurículas longas, muito amplexicaules, glabras com pontas agudas.
  • Lâmina foliar torcem no sentido horário.

 

CENTEIO – Secale cereale

  • Bainha e lâmina foliar vezes pilosa com pelos curtos e finos, vezes com grau inconsistente de pilosidade.
  • Bainha aberta.
  • Lígula curta, membranosa.
  • Aurículas muito curtas, semi-amplexicaules, estreitas e glabras.
  • Torção da lâmina foliar no sentido horário.

 

TRITICALE - (X Triticosecale Wittmack)

  • Bainha e lâmina foliar pilosa com pelos curtos.
  • Bainha aberta.
  • Lígula média, membranosa.
  • Aurículas longas, amplexicaules, finas, pilosa com pelos curtos.
  • Lâmina foliar torce no sentido horário.

 

AVEIA – Avena sativa

  • Bainha e lâmina foliar geralmente glabra, entretanto em algumas variedades pode apresentar pelos compridos dispersos.
  • Bainha aberta.
  • Lígula longa, membranosa, aguda e dentada.
  • Aurículas ausentes.
  • Lâmina foliar torce no sentido anti-horário.

 

 

AZEVÉM – Lolium multiflorum

  •  Bainha não comprimida, sem pelos, rosada na base.
  • Lígula curta, membranosa.
  • Aurículas médias, sem pelos, estreitas e pontiagudas, as vezes em forma de garras.
  • Lâmina foliar sem pelos, enroladas no sentido anti-horário, com uma nervura central proeminente.

 

 

Compartilhar
Autor
4,8
starstarstarstarstar
Confira também: